Comissão

Acumuladores: Cedecondh pedirá reabertura de GT

Grupo de Trabalho deve trabalhar na prevenção de acumuladores de animais e objetos em geral

  • Reunião de comissão sobre acumuladores de objetos e animais na cidade de Porto Alegre. Na foto, os vereadores Lourdes Sprenger e Cláudio Conceição.
    Vereadores Lourdes e Conceição ouvem o psicólogo Mazzini(Foto: Bernardo Speck/CMPA)
  • Reunião de comissão sobre acumuladores de objetos e animais na cidade de Porto Alegre. Na foto,  ao microfone, a médica veterinária Tania de Melo Barbosa Speroni.
    Veterinária Tânia, ao microfone, destacou dificuldades do trabalho com acumuladores de animais(Foto: Bernardo Speck/CMPA)

A Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana (Cedecondh) da Câmara Municipal de Porto Alegre realizou, na manhã desta quinta-feira (14/3), reunião para tratar do Transtorno de Acumulação, ou Síndrome de Burnout. Conforme a proponente da discussão, vereadora Lourdes Sprenger (MDB), a situação da acumulação, na questão dos animais, vem sendo mais tratada pelo poder público, porém, na maioria das vezes, os acumuladores também reúnem em suas casas excesso de material orgânico e objetos. “Muitas vezes a família não sabe como lidar com a doença e precisa de orientação técnica. Esse é um problema de saúde pública e é necessário que o poder público intervenha”. 

Conforme o psicólogo Gabriel Mazzini, do setor de Saúde Mental da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), não existe nenhum trabalho em andamento atualmente voltado ao tratamento desses acumuladores. “Havia um Grupo de Trabalho (GT) que foi interrompido e o poder público não prevê atendimento para essas pessoas. São casos difíceis de se tratar, pois muitas vezes os acumuladores não querem ajuda”, explica.

A coordenadora da Assessoria de Direção da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), Sueli Santos, disse que essa situação é tratada na capital de forma recente. “Tivemos a primeira aproximação com o tema através de uma capacitação feita na Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) e agora é que começamos a articular com os demais órgãos envolvidos, mas o caso nunca foi tratado com prioridade”. 

A médica veterinária da Vigilância em Saúde da Coordenação Geral dos Animais (CGDA) – Antropozoonose, Daura Pereira Zardim explicou que, com os acumuladores de animais, a prefeitura tem ações importantes e inclusive já conseguiu acabar com uma epidemia de dengue causada por um acumulador que havia no bairro Partenon, zona lesta da capital. “A acumulação de muitos objetos e animais acarretou seis casos de dengue na região e foram retirados cerca de 70 caminhões de lixo da residência. Houve também em outras regiões de extrema vulnerabilidade casos de Leishmaniose, por isso acho fundamental a reabertura desse GT para combater esses casos”.

A veterinária da Coordenação de Animais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e da Sustentabilidade (SMAMS), Tânia de Melo, falou também de como é feito o trabalho com os animais. “Fazemos a castração e devolvemos os animais para os acumuladores. Não adianta o recolhimento, pois como o próprio nome diz acumuladores, eles trazem outro animal a cada semana para dentro de suas casas”, explicou. Segundo ela são realizadas 400 castrações todo o mês, porém, a abordagem ainda é muito difícil. “Só para dar um exemplo estamos há 30 dias tentando uma visita com uma acumuladora de animais. É um trabalho árduo de formiguinha, completa.

Encaminhamento

A Cedecondh deverá encaminhar ao Executivo pedido de realização de trabalho de prevenção, que deve ser feita de forma efetiva, através de campanhas na mídia e material impresso alertando sobre esse transtorno. Também deverá ser solicitada a reativação do GT envolvendo os órgãos competentes para se buscar e implementar políticas públicas para o combate desse problema de saúde pública. Acompanharam a reunião, além de Lourdes Sprenger, os vereadores vereadores Comissário Rafão Oliveira (PTB), Marcelo Sgarbossa (PT) e Cláudio Conceição (DEM), representantes do Executivo e do Conselho Regional Veterinário do Simers.

Texto: Priscila Bittencourte (reg. prof. 14806)
Edição: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)

 

Tópicos: CastraçãoSíndrome de BournoutCausa AnimalTranstorno da Acumulação