Sessão solene

Câmara homenageia os 71 anos da Independência de Israel

  • Sessão Solene em homenagem aos 71 anos da declaração de independência do Estado de Israel. Na foto, a presidente Mônica Leal  com os vereadores Valter Nagelstein e Professor Wambert entregam a homenagem ao presidente da Federação Israelita Sebastian Watenberg
    Sebastian Watenberg recebeu diploma, entregue por Mônica Leal, em nome da comunidade judaica gaúcha(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Sessão Solene em homenagem aos 71 anos da declaração de independência do Estado de Israel. Na foto, o presidente da Federação Israelita Sebastian Watenberg
    Sebastian Watenberg agradeceu a homenagem e o reconhecimento da Câmara(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

A passagem dos 71 anos da Declaração de Independência do Estado de Israel foi marcada, nesta terça-feira (14/5), por uma homenagem na Câmara Municipal de Porto Alegre. A tradicional sessão solene, proposta pela Mesa Diretora do Legislativo Municipal, teve por objetivo enaltecer uma conquista histórica e um reconhecimento a uma luta de direitos e justiça.

Na abertura da solenidade, a presidente Mônica Leal (PP) saudou a todos e ressaltou que é sempre uma honra poder se manifestar sobre a comunidade judaica, pela qual disse ter um sentimento especial, familiar, onde tem muitos amigos, parceiros de muitos trabalhos, e anos de convivência com suas iniciativas, atos e comemorações. “A data que marca o nascimento do Estado de Israel é lembrada todos os anos a cada 14 de maio, numa relevância mundial, e também, como deve ser, é prestada uma homenagem na Câmara Municipal de Porto Alegre”, destaca.

Ainda em sua fala, Mônica lembrou que, durante seu primeiro mandato como vereadora, teve a oportunidade de propor esta solenidade - em 2006, nos 58 anos da Declaração da Independência de Israel - e hoje volta a realizar este momento importante através de proposta à Mesa Diretora da Casa. “Promover esta solenidade é proporcionar um momento para receber a sempre tão bem-vinda comunidade de Porto Alegre, que é tão forte, tão unida pela sua história e pelas memórias que foram trazidas de tão longe, mas que hoje sentimos tão perto, justamente pela divulgação da sua tradição em nosso município”.

E por fim, enfatizou a importância das instituições e entidades que amparam e atuam na responsabilidade de manter viva a cultura e a tradição judaicas em nosso município e Estado. “Quero destacar bem como a todos vocês, integrantes ativos e unidos da comunidade que tanto nos orgulha e que jamais esquece seu passado e suas origens”.

Utilizaram o aparte para homenagear a Independência de Israel os vereadores Comissário Rafão Oliveira (PTB), Professor Wambert (PROS), Valter Nagelstein (MDB), Ricardo Gomes (PP) e Reginaldo Pujol (DEM), destacando em suas falas a valorização e trajetória do povo judeu com admiração e respeito por tudo que representam.

Reconhecimento

O presidente da Federação Israelita do Rio Grande do Sul, representando a comunidade judaica, Sebastian Watenberg, agradeceu a homenagem e lembrou que há 80 anos os judeus estavam na câmara de gás e que há pouco mais de 71 anos os judeus conseguiram a sua independência no Estado de Israel, e que isso trouxe segurança e um refúgio ao longo da história para os judeus. “Infelizmente hoje ainda convivemos com o preconceito, mas o momento também é de celebração. Estamos num momento histórico com a aproximação dos governos brasileiro e Israelense”. 

O presidente da entidade acrescentou ainda que não é a favor da separação de Israel e Palestina, o objetivo é de paz. Ele mencionou a lei aprovada na Capital, de autoria do vereador Valter Nagelstein, que obriga o ensino sobre o Holocausto nas escolas, para que isso nunca mais aconteça. “Queremos olhar para frente e investirmos na era do conhecimento. Queremos um estado democrático de direito, pois assim as minorias poderão viver em paz e com dignidade. Temos orgulho da nossa identidade, gaúcha, brasileira e judaica. Muito obrigado por essa homenagem”.

História

O Estado de Israel foi proclamado no dia 14 de maio de 1948, de acordo com o plano de partilha da ONU de 1947. Menos de 24 horas depois, os exércitos regulares do Egito, Jordânia, Síria, Líbano e Iraque invadiram o país, forçando Israel a defender a soberania que acabara de reconquistar em sua pátria ancestral. Nesta luta – conhecida como a Guerra de Independência de Israel – as recém-formadas Forças de Defesa de Israel (FDI), pobremente equipadas, rechaçaram os invasores em lutas ferozes e intermitentes, que se prolongaram por 15 meses, e custou a vida de 6 mil israelenses (quase 1% da população judaica no país na época).

Também prestigiaram a homenagem o vereador João Carlos Nedel (PP), os rabinos da Sinagoga Beit Luba Vitch, Mendel Liberow, do Centro Israelita, Marcos Pererlmuter, e da Sibra, Guershon Kwasniewski.

Texto

Priscila Bittencourte (reg. prof. 14806)

Tópicos:Israel