Comissões

Cosmam confere estrutura do Hospital Santa Ana

Visita ao Hospital Santa Ana. Na foto, vereadores André Carús, Aldacir oliboni, José Freitas e Hamilton Sossmeier com o diretor do hospital
Vereadores percorreram estrutura de atendimento da casa de saúde, localizada em Teresópolis(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Um ano após visita às obras do Hospital Santa Ana, construído pela Associação Educadora São Carlos (Aesc), vereadores da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) da Câmara Municipal de Porto Alegre voltaram à instituição, desta vez para conferir seu funcionamento e infraestrutura. Inaugurado parcialmente em agosto de 2018 e agora em pleno funcionamento, o hospital, no bairro Teresópolis, atende as áreas de saúde mental, cuidados prolongados e retaguarda clínica. O presidente, vereador André Carús (MDB), o vice-presidente José Freitas (PRB) e os membros da Comissão Aldacir Oliboni (PT) e Hamilton Sossmeier (PSC) estiveram no local durante a manhã desta sexta-feira (12/7) e foram recebidos pelo diretor médico, Marcelo Fagundes.

“Esta é uma conquista importante para a cidade. O Santa Ana trata de uma das questões mais sérias da atualidade, que é a saúde mental. Por ser um hospital de retaguarda, contribui para desafogar as emergências da cidade e garante um atendimento de qualidade que outras instituições, pela estrutura precária e superlotação, muitas vezes não conseguem garantir”, afirmou Carús. Conforme o vereador, o objetivo da visita foi dar visibilidade ao hospital e conferir o atendimento. “Esta é a primeira visita da Cosmam após seu pleno funcionamento. Pudemos constatar a excelência no serviço prestado”, destacou.

Retaguarda

Os vereadores percorreram alas do Santa Ana e receberam informações sobre o atendimento. A instituição conta com 203 leitos, sendo 56 deles destinados à saúde mental, 10 de UTI, 60 de cuidados prolongados e o restante de retaguarda clínica. Os pacientes são recebidos através do encaminhamento das emergências de outras instituições de saúde. “O nosso objetivo principal é desafogar as emergências. Temos muita satisfação em perceber que estamos ajudando a reduzir a superlotação em Porto Alegre”, afirma Marcelo Fagundes. O gestor destaca, ainda, que a instituição atende integralmente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) através de convênio com o Município de Porto Alegre.

A especialidade de saúde mental é dividida em duas alas, cada uma com 28 leitos. Uma delas atende mulheres adultas com dependência química e outra atende o público masculino de 12 a 18 anos com dependência química ou transtornos mentais. O tempo médio de internação para tratamento é de 20 dias. Toda a estrutura desses espaços foi planejada para evitar acidentes e tentativas de suicídio.

Já a unidade de internação de cuidados prolongados atende majoritariamente idosos acamados. Os acompanhantes também recebem refeições fornecidas pelo hospital. “Atendemos uma população muito carente”, explica Fagundes. Pacientes com doenças altamente contagiosas ficam em leitos isolados com controle de pressão para evitar a contaminação do ambiente externo. A instituição ainda conta com UTI e pequenos procedimentos cirúrgicos para os pacientes que já estejam internados. Para os pacientes neurológicos crônicos próximos da alta hospitalar, é oferecida fisioterapia em uma sala de recuperação para garantir que eles possam retomar as atividades do cotidiano com maior autonomia.

Conforme a direção do Santa Ana, o único problema enfrentado pelos funcionários da instituição e acompanhantes dos pacientes são os assaltos nas redondezas, especialmente na parada de ônibus. A Cosmam encaminhará pedido de providência à Prefeitura para melhorar a iluminação na Praça Simões Lopes Neto, em frente ao Hospital, e solicitará à Brigada Militar o reforço no patrulhamento.

Texto

Ana Luiza Godoy (reg. prof. 14341)

Edição

Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)

Tópicos:Emergências ClínicasSaúde MentalSaúde Pública