Plenário

Ex-diretor do HMIPV e da Unimed poderá ser Cidadão de Porto Alegre

Projeto de João Carlos Nedel destaca trajetória profissional de João Henrique Sommer Pereira

Sessão Solene de outorga do Título de Cidadão de Porto Alegre ao senhor Angelo Domingo Pretto. Na foto, o proponente da homenagem, vereador João Carlos Nedel.
Vereador João Carlos Nedel na Câmara Municipal(Foto: Andielli Silveira/CMPA)

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, projeto de lei do vereador João Carlos Nedel (PP), que concede o título de Cidadão de Porto Alegre ao médico pediatra João Henrique Sommer Pereira. O homenageado foi presidente da Unimed Porto Alegre de 1992 a 1996, entidade onde já havia atuado como conselheiro, primeiro no conselho fiscal, de 1982 a 1988, e depois no conselho de administração, de 1988 a 1992. Foi também um dos fundadores da Unicred Porto Alegre, que é um conjunto de financeiras cooperativas, sem fins lucrativos, que abriga principalmente profissionais da área de saúde. 

Em seu histórico profissional, Sommer Pereira cursou a Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Santa Maria e realizou residência em pediatria no Hospital Infantil do Morumbi, em São Paulo. Trabalhou na cidade de São Luiz Gonzaga, logo após sua formatura, onde permaneceu até 1968. Ainda naquele ano, passou a exercer seu trabalho em Santo Ângelo. Veio a Porto Alegre em 1970, e, logo a seguir, estava trabalhando no posto de saúde Belém Novo, que chefiou por dois anos. Em seguida, foi para Gravataí, chefiando a equipe médica do posto daquela cidade de 1974 a 1977, retornando neste ano para trabalhar no Hospital Materno Infantil Presidente Vargas (HMIPV).

Neste local, iniciou trabalhando como médico no ambulatório de pediatria e como instrutor de residência desta especialidade e, a seguir, passou a chefiar o serviço de pediatria e a assessorar a direção do hospital. Durante a década de 1980, exerceu cargos de direção do HMIPV, inclusive o de diretor-geral da instituição. Neste período, são destacados, entre inúmeros trabalhos, a criação do banco de leite materno e do banco de sangue, a implantação de estatísticas hospitalares, a administração por metas, a auditoria médica e a formação das políticas organizacionais.

Texto: Matheus Lourenço (estagiário de Jornalismo)
Edição: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)