Plenário

Legislativo homenageia os 15 anos da Revista Voto

  • Período de Comunicações em homenagem aos 15 anos da Revista Voto. Na foto, a presidente Mônica Leal e a equipe da Revista Voto
    Vereadora Mônica Leal (c) entregou diploma aos integrantes da Voto presentes à homenagem(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Período de Comunicações em homenagem aos 15 anos da Revista Voto. Na foto, a diretora executiva do Grupo Voto, Karim Miskulin
    Karim Miskulin destacou a trajetória da revista(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

“Reconheço uma das iniciativas de maior sucesso da imprensa gaúcha”, enfatizou a vereadora Mônica Leal (PP) ao homenagear, na tarde desta quinta-feira (11/7), no Plenário Otávio Rocha da Câmara Municipal de Porto Alegre, o aniversário de 15 anos da Revista Voto. Proposta pela própria parlamentar, o período contou com a entrega de um diploma às integrantes e idealizadoras do veículo que circula bimestralmente de forma impressa no Rio Grande do Sul, em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Brasília, em Nova York (em parceria com o jornal Financial Times) e em plataformas digitais. 

Na oportunidade, Mônica lembrou que, além de ela ser vereadora, também é jornalista. Afirmou que, com isso, se sentia gratificada pela cerimônia em homenagem à trajetória da Revista Voto. “Criada há 15 anos, a Voto é focada na cobertura política do Rio Grande do Sul e do Brasil. Tratando igualmente de economia, cultura, negócios, empreendedorismo, biografias e pautas que tocam a sociedade.”

Conforme a vereadora, a revista se sobressai porque “faz a divulgação do exercício da ética e da democracia” por meio de pessoas que dominam a cena e são formadoras de opinião. Para finalizar, Mônica reforçou a presença feminina na administração, na produção e no comando do veículo homenageado. “Os homens que me perdoem, mas a Voto é mulher”, saudou ao elogiar o espaço político e a construção social da revista. 

“É uma emoção poder estar aqui e ser homenageada”, agradeceu a diretora executiva do Grupo Voto, Karim Miskulin. A diretoria falou sobre o nascimento do veículo. Comentou que, no início, ela trabalhava no Legislativo Municipal e que foi a partir daí que “o coração da Voto nasceu nesta Casa”. Na tribuna, sublinhou o papel investigativo e crítico do jornalismo. Disse que “a postura mais cômoda da vida é sempre cruzarmos os braços”.

A diretora ainda mencionou que “notícia ruim pode vender mais, mas acreditamos que é a notícia boa que fomenta o bom exemplo e empurra o país”. Karim destacou ser essencial o jornalismo também mostrar o Brasil que deu certo e que, para tanto, “precisamos deixar de lado conceitos obsoletos”. “Enquanto investem na destruição de reputações, nós nos esforçamos na construção de pontes”, concluiu.

Texto

Bruna Schlisting Machado (estagiária de Jornalismo)

Edição

Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)

Tópicos:Karim MiskulinRevista Voto