Aprovada Moção de Repúdio a adoção de lista fechada em eleições

Mendes Ribeiro acredita que este tipo de sistema despersonaliza o voto do eleitor e diminui drasticamente a relação entre o representante e o representado.

(Foto: Tonico Alvares/CMPA)

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou nesta segunda-feira (10/4) Moção de Repúdio contra a alteração na legislação eleitoral brasileira visando a adoção do sistema de voto em lista fechada para as eleições proporcionais. A proposta é assinada pelo vereador Mendes Ribeiro e subscrita pelos colegas da bancada do PMDB, vereadores Idenir Cecchim, Valter Nagelstein, André Carús e Comandante Nádia. 

“Não pude fechar os olhos para esta questão nacional, debatida neste momento na Comissão Especial da Reforma Política. Me utilizei do instrumento da moção, que é uma proposição para qualquer esfera, inclusive a federal, e que acima de tudo é uma declaração pública de posicionamento, o que em dias atuais é raro. Sugeri a bancada de meu partido, que prontamente aceitou, afinal seguimos a mesma linha política”, explicou o vereador Mendes Ribeiro.

 Neste modelo, o eleitor ao invés de votar em um candidato específico, vota em uma lista de candidatos com nomes escolhidos pelo partido. Dependendo da quantidade de votos da listagem, são eleitos os candidatos na ordem determinada dela.

 Mendes Ribeiro acredita que este tipo de sistema despersonaliza o voto do eleitor e diminui drasticamente a relação entre o representante e o representado. “O voto é no candidato, que sim é identificado ideologicamente com um partido, e lá realiza as construções de bandeiras partidárias. Mas quem deve representar o povo são aqueles que eleitos por ele, e não o partido a qual pertencem”, completa o vereador.

 O documento aprovado ainda aborda o temor pelo fim de umas das características definidoras do regime democrático: a alternância no poder, o surgimento de novos representantes que possam oxigenar o processo. “Bem sabemos que o voto em lista, que este formato, não irá propiciar e inclusive dificultar isso, finalizou Mendes Ribeiro.