- Atualizada em 29/03/2018 09:39

Mônica participa de entrega de viaturas para proteção da mulher

Os veículos serão utilizados pela Patrulha Maria da Penha e pela Delegacia Especializada de Atenção à Mulher

  • Presidente da CMPA participa da Solenidade de Entrega de Viaturas para o Fortalecimento da Rede de Proteção à Mulher.
    A vereadora Mônica (de bege) defendeu prioridade para o atendimento à mulher(Foto: Henrique Ferreira Bregão/CMPA)
  • Presidente da CMPA participa da Solenidade de Entrega de Viaturas para o Fortalecimento da Rede de Proteção à Mulher.
    A solenidade do governo estadual foi realizada no Palácio Piratini(Foto: Henrique Ferreira Bregão/CMPA)

A presidente interina da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereadora Mônica Leal (PP), participou, na manhã desta quinta-feira (8/3), Dia Internacional da Mulher, da cerimônia de entrega de quatro viaturas da Brigada Militar para serem utilizadas pela Patrulha Maria da Penha e pela Delegacia Especializada de Atenção à Mulher. A solenidade foi realizada pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos, no jardim da ala residencial do Palácio Piratini, por meio do Departamento de Políticas para as Mulheres (DPM).

Conforme a primeira-dama do Estado e secretária do Desenvolvimento Social, Maria Helena Sartori, o objetivo da entrega das viaturas (camionetas Duster) foi para fortalecer os serviços da Rede de Atendimento às Mulheres em situação de violência. “O DPM trabalha para a potencialização e a consolidação dos serviços e das políticas públicas voltados ao enfrentamento, atendimento e prevenção à violência contra a mulher e, principalmente, à implantação de ações voltadas à promoção da autonomia da mulher como agente transformador e propulsor da sociedade”, explicou.

Na presença do governador José Ivo Sartori, do secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, e representantes da Brigada Militar, Polícia Civil, Defensoria Pública do Rio Grande do Sul e Ministério Público de Contas, a vereadora Mônica Leal destacou que é extremamente importante priorizar também a estrutura, além do atendimento e do acolhimento dessas mulheres vítimas de violência. “O aparelhamento da rede e a união de forças podem diminuir e otimizar as ações da Brigada Militar e da Polícia Civil, fazendo com que haja repressão e resultados positivos contra a exploração e para que menos mulheres sejam agredidas no nosso Estado”.

Dados

O Rio Grande do Sul atualmente possui cerca de 22 delegacias da mulher. Com 30 anos de existência, a Patrulha Maria da Penha e a Rede de Proteção à Mulher fizeram cair em 13% os casos de feminicídio no Estado. Cerca de 300 mulheres vítimas de agressão foram atendidas e capacitadas através de cursos nas áreas de construção civil e artesanato em 2017. Porém, ainda existe uma diferença salarial de 20% entre homens e mulheres nos cargos de chefia.

Texto: Priscila Bittenourte (reg. prof. 14806)
Edição: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)