Plenário

Sessão Ordinária/ Lideranças - Comunicações

Movimentação de plenario.
Moisés Barboza, na tribuna, destacou evento esportivo em ruas da cidade(Foto: Tonico Alvares/CMPA)

Os vereadores da Câmara Municipal de Porto Alegre fizeram uso do período de Lideranças, durante a sessão ordinária desta segunda-feira (5/11), para as seguintes manifestações:

ECONOMIA - Moisés Barboza (PSDB) divulgou informações a respeito do Heineken Fórmula 1 Experience, demonstração automobilística que acontece em Porto Alegre, no dia 10 de novembro. Conforme o vereador, mais de 40 mil pessoas irão acompanhar o evento esportivo sediado na Usina do Gasômetro. Barboza destacou a importância da programação que deverá movimentar o setor financeiro da capital. Ainda de acordo com ele, Porto Alegre e Rio de Janeiro foram as únicas cidades do país a serem escolhidas pela empresa para a realização desta atividade. “A marca arcará com todas as despesas”, ressaltou, ao reafirmar a importância de parcerias privadas no fomento da economia da capital. (MF) 

ECONOMIA II - Felipe Camozzatto (Novo) convidou para seminário sobre empreendedorismo, organizado pela Frente Parlamentar do Empreendedorismo e Desbrucatização da Câmara, que acontece no dia 27 de novembro, no Plenário Otávio Rocha. De acordo com o vereador, o evento já possui mais de 600 inscritos e contará com a palestra de diversos empresários, a partir das 19 horas. Por fim, Camozzato deixou uma provocação em relação a Procempa, diante da dificuldade apresentada nos resulados das pró-metas, que não foram atingidas nos setores de atendimento à saúde e de melhorias na educação. O vereador questionou por que a coleta dos dados não poderia ser feita por uma empresa privada, ao invés da empresa pública. (MF) 

MANIFESTAÇÃO - Aldacir Oliboni (PT) leu alguns trechos de reportagens que defendem a livre expressão de pensamento e de democracia, publicadas nos jornais desse fim de semana. Segundo o vereador, a ideia exposta pelos jornalistas implica nas últimas manifestações pós-eleição realizadas por alunos em colégios e  universidades.  "Jamais podemos criminalizar ou tutelar esses movimentos", frisou. De acordo com Oliboni, é preciso defender não só a liberdade de pensamento, mas também a liberdade de movimento. Para ele, os atos vertem da vontade de manifestação das pessoas, e não de uma questão partidária. (MF) 

MANIFESTAÇÃO II - Aldacir Oliboni (PT), na oportunidade, fez referência a reportagens do final de semana e, inclusive, de hoje (5/11). Ele citou jornalistas defensores da livre expressão do pensamento e da democracia como, por exemplo, Paulo Germano da Zero Hora, que escreveu “Deixem os alunos se manifestarem em paz”. Todavia, Oliboni disse ter chamado bastante a atenção dele o artigo da professora de jornalismo da Unisinos, Luciana Kraemer, na página 23 da Zero Hora de hoje, intitulado “A poesia que nos mantém vivos”, sobre as manifestações que ela acompanha, seja pela maternidade, seja pela docência. “Jamais podemos criminalizar manifestações em escolas, universidades ou onde quer que seja", salientou. "Vivemos em um momento democrático. Nós temos que defender a livre manifestação de pensamento”, destacou o vereador. (BSM)

OBRAS - Cassiá Carpes (PP) destacou a falta de local para a prática de esportes para os alunos da Escola Gilberto Jorge, localizada no bairro Ipanema. As obras do ginásio estão incompletas, faltando pouco para conclusão, conforme o vereador. “Faltava aplainar, instalar as goleiras e colocar areia. A construtora que estava realizando a obra desistiu por falta de pagamento da prefeitura”, explicou o vereador. “Façam parcerias entre as secretarias", sugeriu o vereador, como forma de solucionar a falta de verbas existentes para a conclusão das obras. "A Secretaria de Esportes está sem condições de recuperar seus espaços", lamentou. "Queremos que esse problema seja resolvido”. (PB)

GUARDAS – André Carús (MDB) ressaltou que ações mais efetivas da Guarda Municipal (GM) sãoprejudicadas pela precariedade dos equipamentos da corporação e do reduzido efetivo. “Nesse último feriadão, os meios de comunicação mostraram a ausência da GM na cidade. Tomamos conhecimento que unidades de saúde  que fecharam 75 vezes por falta de segurança”. Conforme Carús, isso também vale para duas situações de agressão de professores em escolas, ocorridas nos últimos dias. “As aulas de música acabaram e outros projetos acabaram também que tiravam os estudantes das ruas e hoje eles vão para a rua e trazem para a escola essas agressões. Falta efetivo, falta concurso”. Ele anunciou ainda que reapresentará emenda na lei orçamentaria para que se chamem 100 novos GMs, do último concurso. (PB)

RESÍDUOS – Adeli Sell (PT) disse querer saber onde está o secretário municipal de Educação. "Quando é convocado, nunca aparece na Câmara.  As escolas estão abandonadas”.  Adeli explicou que o secretário prega ações coletivas, mas foge quando é chamado para o debate. “A situação dos resíduos sólidos é outra questão. Temos atrasos (nos repasses) dos recursos dos galpões de reciclagem”. Afirmou ainda que, se for feita uma forte fiscalização, serão fechados todos os galpões, pois devem seguir normas e isso não existe. “Alguns atravessadores ganham com isso, a cidade não ganha em nada. A questão dos resíduos é uma vergonha", criticou. Sobre o imobiliário urbano, disse desejar que seja votado ainda nesse mês: "queremos uma cidade inclusiva”.  (PB)

Texto de: Munique Freitas (estagiária de Jornalismo)
              Bruna Schlisting Machado (estagiária de Jornalismo)
              Priscila Bittencourt (reg. prof. 14806)
Edição: Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)