Plenário

Projeto propõe homenagem ao fundador do Moinho Estrela

Vereador João Carlos Nedel
Vereador João Carlos Nedel (PP) é o autor da proposta(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, o projeto de lei do legislativo nº 023/18, de autoria do vereador João Carlos Nedel (PP), que concede o título de Cidadão de Porto Alegre para Angelo Domingo Pretto, fundador do Moinho Estrela. Angelo nasceu em 1930, na cidade de Xaxim, em Santa Catarina. Vindo de uma família de imigrantes italianos, é filho de José Pretto, um comerciante local.

Segundo o homenageado, a paixão pelos moinhos vem desde cedo. No início dos anos 1940, o pai montou um moinho de grãos na região onde moravam, perto de uma pequena cascata. Em 1951, Angelo veio para Porto Alegre para prestar serviço militar, ficando 13 meses na Capital, quando, insatisfeito com a vida no quartel, voltou para sua cidade natal. Após esse período, trabalhou como ajudante de motorista e caminhoneiro-mascate, o que o levou a comandar uma pequena frota cargueira.

Em 1958, a família Pretto fundou o Moinho Ideal, em Lajeado. Angelo ficou lá até 1961, quando voltou para Porto Alegre e montou uma distribuidora de alimentos no centro da Capital. Depois disso, liderou a compra do Moinho Estrela, que se mudou para Porto Alegre em 1970.

Hoje, o Grupo Estrela, de propriedade de Angelo, inclui cerca de 800 colaboradores, sendo 650 diretos e 150 indiretos. A companhia tem 50 anos. Angelo escreveu um livro de 280 páginas, no qual contextualiza a história da economia gaúcha e brasileira. Baseado em seu depoimento, o jornalista Geraldo Hasse escreveu o livro "De Um Só Grão Não se Faz Pão - Memórias do Fundador do Moinho Estrela".

Texto: Matheus Lourenço (estagiário de jornalismo)
Edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)