Saúde

SAÚDE EM PAUTA!

No último semestre, os projetos relativos a Saúde, principalmente com enfoque na prevenção, foram elencados como prioritários no gabinete do vereador Mendes Ribeiro.

Saúde em pauta
Saúde em pauta(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Com grande vínculo junto à comunidade médica e sensível ao diálogo com as principais instituições de Saúde, o vereador, com o auxílio destes, encontrou algumas soluções – de competência do poder Legislativo – passíveis de implantação em Porto Alegre.

TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade

Quando a desatenção, falta de foco nas atividades, agitação motora e impulsividade das crianças, especialmente em sala de aula, afeta o seu desenvolvimento escolar e, muitas vezes, gera dúvidas na condução do professor, pode ser sintomas do TDAH.

Diagnosticado em idade escolar e encaminhado a cuidados, há diminuição no índice de desenvolvimento simultaneamente de distúrbios psiquiátricos, como ansiedade e depressão, e na adolescência, no uso abusivo do álcool e de outras drogas.

Indicativo de Lei:

O vereador protocolou junto ao executivo um indicativo de Lei para realização de atividades de capacitação aos profissionais vinculados a área escolar para atender e estimular a aprendizagem das crianças e jovens com TDAH.

Projeto de Lei:

Criação da Semana Municipal de Conscientização, período em que, junto a instituições de Saúde, grupos de apoio, secretárias de Saúde e demais vinculadas, levem materiais instrutivos a pais e comunidades; compreendendo tipos, graus, causas, além de auxiliar no desenvolvimento das crianças e jovens e minimizar as consequências.

Atendimento descentralizado à Saúde do Homem

Após um ano de reuniões periódicas com a Frente Parlamentar da Saúde do Homem, criada e presidida por Mendes Ribeiro, voltada a integrar e discutir com especialistas, agentes da saúde e comunidade, uma das metas integrantes da Cartilha da Saúde do Homem é a implantação do atendimento médico descentralizado, como minimizador de problemas ditos ambulatoriais que, pela falta de orientação, agravam-se. Ainda, promover informações e atendimentos especializados pela plataforma do Telessaúde.

Frente Parlamentar pela causa da Prematuridade

A prematuridade está ligada a 53% dos óbitos no primeiro ano de vida, respondendo por, pelo menos, 12 mil mortos por complicações logo após o parto. “Este é um tema que precisa ser tratado com atenção por todas as esferas da administração pública, especialmente no âmbito municipal, visando a disponibilização de acompanhamento pré-natal a fim de oportunizar atendimento de qualidade às gestantes e um parto seguro. Os prematuros são propensos a doenças graves ou morte durante o período intraparto e neonatal. Mas, com tratamento e cuidados adequados, os riscos e possíveis deficiências podem ser reduzidos. É uma condição que depende de nossa atenção”, relata o vereador.

Programa Municipal de Atenção a Prematuridade

Programa municipal que visa diagnosticar e prevenir situações de risco para partos prematuros, dar assistência à criança nascida prematuramente e à sua família e reduzir as ocorrências de partos prematuros e mortes associadas às complicações dessa condição, além de cuidados com a idade gestacional, com a prematuridade, com o peso ao nascer e demais cuidados exigidos que deverão ser levados em consideração. 

No programa serão realizadas ações promocionais para divulgação dos fatores de risco da prematuridade e dos cuidados necessários nos períodos da gestação e pós-natal, a fim de diminuir o número de partos prematuros e de alertar para as complicações decorrentes do nascimento pré-termo.

Programa Municipal de Cuidados Paliativos

O Programa Municipal de Cuidados Paliativos desenvolve um conjunto de práticas de assistência ao paciente visando à qualidade de vida e à manutenção da dignidade humana no decorrer da doença, na morte e no período de luto.

Atualmente há um progressivo envelhecimento populacional associado ao predomínio de doenças crônico-degenerativas de evolução lenta e um crescente e constante aumento de novos casos de câncer e de outras doenças que geram de forma direta o comprometimento funcional e a dependência dos pacientes. Para Mendes, além desses fatores, há uma nova reorganização familiar, com mais pessoas morando solitariamente e que, quando diagnosticadas com uma doença terminal, podem ter muito sofrimento físico, mental, social e emocional.

“Os cuidados paliativos nunca podem estar isolados da cadeia de serviços de saúde que caracterizam a atenção global ao paciente, na qual a melhora da qualidade de vida de pacientes e familiares é realizado por meio da prevenção e do alívio do sofrimento físico, psíquico, social e espiritual”, destaca Mendes. Desse modo, prossegue, “um diagnóstico adequado do sofrimento e de suas causas é imprescindível para o cuidado paliativo”.

Comunicação de maus tratos a idosos

Medida vale para hospitais públicos e privados, Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Pronto Atendimento localizados em Porto Alegre.

O projeto visa assegurar que a notificação ou comunicação de maus-tratos possa apoiar na elaboração de políticas públicas de prevenção à violência contra a pessoa idosa. Na comunicação aos órgãos de assistência social, devem constar o motivo do atendimento, o diagnóstico, a descrição detalhada dos sintomas e das lesões, além da conduta adotada, incluindo tratamento e encaminhamentos realizados.

Assessoria de Comunicação Gabinete Mendes Ribeiro