Plenário

Vereadores comentam resultados das eleições

  • Movimentações de plenário. Na foto, os vereadores Moisés Barboza, Sofia Cavedon, Professor Alex Fraga e Aldacir Oliboni.
    Moisés Barboza (e), Sofia Cavedon, Marcelo Sgarbossa e Aldacir Oliboni (d)(Foto: Giulia Secco/CMPA)
  • Movimentação de Plenario.
    Vereadores Reginaldo Pujol e Dr. Thiago Duarte (d), da bancada do DEM(Foto: Tonico Alvares)

Os vereadores e vereadoras da Câmara Municipal de Porto Alegre, durante os períodos de Comunicações e Lideranças da sessão ordinária desta segunda-feira (8/10), trataram dos seguintes temas:

ELEIÇÕES - Tarciso Flecha Negra (PSD) parabenizou os vereadores que concorreram ao pleito neste ano, destacando a honra da Câmara de Porto Alegre em ter colocado cinco vereadores nos cargos de deputado estadual - Elizandro Sabino (PTB), Dr. Thiago duarte (DEM), Rodrigo Maroni (Pode) e Sofia Cavedon (PT) - e deputado federal - Fernanda Melchiona (PSOL). O vereador pediu a todos os eleitos para que lutem “por um país de verdade, sem brincadeira” e defendeu que a segurança deve ser prioridade dos novos governantes. “Primeira coisa que se deve pensar para ter esporte, educação, cultura é segurança. É isso que precisamos”, disse. Sobre a postura dos políticos, afirmou que ser honesto é uma obrigação. “Nosso país precisa de gente que queira olhar pela gente”, apontou. (MC)

ELEIÇÕES II - Eleito deputado estadual, Elizandro Sabino (PTB) parabenizou os colegas vereadores que colocaram seus nomes para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal e agradeceu à equipe do seu partido, sua família e a todos os seus eleitores, que concederam 36.033 votos ao candidato no pleito a deputado estadual. Sobre sua campanha, reafirmou sua honestidade e ficha limpa. “Não sou réu em nenhum processo, nem indiciado”. Disse acreditar que as pessoas estejam buscando “uma renovação com nomes que possam fazer a diferença”. O vereador ainda recordou sua trajetória, desde sua filiação ao PTB, junto ao seu pai, o ex-vereador de Porto Alegre Eliseu Sabino, há 26 anos, suas duas eleições como conselheiro tutelar e sua reeleição como vereador da Capital. (MC)

ELEIÇÕES III - Eleita deputada estadual, a vereadora Sofia Cavedon (PT) agradeceu a confiança da cidade de Porto Alegre em sua candidatura, que a elege pela quinta vez a um cargo público, e definiu o momento como de “orgulho, emoção e de grande responsabilidade”. A vereadora afirmou que seus votos estão vinculados à luta por direitos, democracia, educação, cultura e resistência das carreiras públicas. “Essa resistência é uma educação de qualidade, respeitada para todos e todas, inclusiva e com profissionais valorizados”, afirmou. Ao citar sua luta pelas mulheres, cumprimentou a eleição da vereadora Fernanda Melchiona (PSOL) e disse que o diferencial dessas eleições foi o posicionamento das mulheres contra “a violência de gênero, o sexismo e as manifestações misóginas”, representadas, segundo ela, por um candidato que disputa a presidência da República. Ainda reforçou a missão de não deixar o Brasil “retroceder nos marcos democráticos e nos direitos consagrados na Constituição”. (MC)

ELEIÇÕES IV - Eleita deputada federal, Fernanda Melchiona (PSOL) agradeceu aos municipários - se colocando como aliada na luta pela categoria na Câmara Federal - e às mais de 114 mil pessoas que dedicaram “voto e confiança” em sua campanha, apesar de um sistema político que, segundo ela, é “montado para que partidos como o PSOL não tenham expressão”. A vereadora destacou as eleições dos candidatos do partido nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pará e afirmou que serão representações de pessoas que defendem os trabalhadores e que “batalharão para revogar as medidas anti-povo do Temer e para combater uma estrutura desigual montada na lógica do machismo e da desigualdade de gênero”. Melchiona cumprimentou os demais vereadores eleitos e reafirmou que, "enquanto um projeto fascista à presidência não for derrotado, a eleição não terá acabado para mim”. (MC) 

ELEIÇÕES V - Aldacir Oliboni (PT) parabenizou os colegas da Casa pelas lutas e vitórias nas eleições do último domingo (7/10). “Não é por acaso que nós, vereadores, saímos da Câmara Municipal e galgamos por cargos importantes. O povo votou com esperança. A política, nos últimos anos, entrou em descrédito, porque muitos colegas do Executivo e do Legislativo mentiram para a população”, afirmou. Oliboni lembrou a situação atual do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, “que prometeu e não faz acontecer”. O vereador cumprimentou as vereadoras vencedoras à deputada estadual, Sofia Cavedon (PT), e à deputada federal, Fernanda Melchionna (PSOL). “Elas (as vereadoras) dialogaram por causas que as bancadas delas também abraçaram. As pessoas percebem quem está no parlamento e tem uma causa. As pessoas percebem quem dialoga com lutas e com a busca pela dignidade”, disse. (BSM)

ELEIÇÕES VI - Rodrigo Maroni (Pode) falou sobre democracia e a vitória dele, no último domingo (07/10), nas eleições 2018, ao cargo de deputado estadual do Rio Grande do Sul. “Nessa democracia profundamente frágil, na minha opinião, mesmo eu tendo uma vitória eleitoral, penso que ela (a democracia) ainda tem muito a avançar”, disse. Maroni traçou a trajetória dele na política. “Vim parar aqui como vereador suplente. Disputei, agora, uma eleição para deputado estadual quando parte dos meus colegas são oriundos de grandes sobrenomes ou estruturas partidárias, e eu não”, afirmou. “Quero parabenizar as pessoas que se colocam à disposição em condições difíceis de se disputar uma eleição. O Brasil vive um processo extremamente retroativo na política. Mas me solidarizo com todos os outros colegas que disputaram as eleições.” (BSM)

ELEIÇÕES VII - Moisés Barboza (PSDB) saudou a bancada do PTB, “que teve êxito em sua empreitada”, disse. Também saudou as bancadas do Podemos, do PDT, do PSB, do PROS, do PT, do PSOL, do NOVO, do DEM e do PP. “Parabenizo todas as bancadas desta Casa que concorreram (às eleições 2018). Assisti atentamente aos colegas que subiram nesta tribuna. É um momento de comemoração, de saudarmos a democracia”, manifestou. Barboza fez menção ao eleitor gaúcho. “Nós, aqui do Sul, somos privilegiados. O povo gaúcho deu uma brilhante demonstração de democracia”, afirmou.  (BSM) 

GOVERNO - Aldacir Oliboni (PT) lamentou atitudes violentas de alguns eleitores no último domingo (7/10). Para o vereador, tratam-se de atitudes fascistas e inconsequentes a ponto de um cidadão tirar a vida do outro por divergências ideológicas. “Isso é mais que um assassinato, é espalhar o fascismo e o ódio.” Quanto ao documento expedido pelo Executivo, que trata sobre o chamamento de professores de educação física – cedidos às atividades esportivas em parques da cidade – para a Smed, Oliboni reesaltou que a medida destrói uma rede de serviços relacionados a idosos, bem como crianças e adolescentes. (MF)

SAÚDE - Eleito deputado estadual, Dr. Thiago Duarte (DEM) agradeceu as comunidades que conseguiram elegê-lo. “Vamos fazer uma profunda luta pela saúde pública, para que doenças curáveis não continuem se tornando incuráveis”, disse ele. Para Dr. Thiago, são os pequenos municípios que mais sofrem com o fechamento de pequenos hospitais, fazendo uma diferença brutal na área da saúde. “Representarei e lutarei por Porto Alegre, mas não esquecerei das pequenas cidades que carecem de um olhar médico para as pessoas que mais precisam”. (MF) 

GOVERNO II - Cláudio Janta (SD) aproveitou para saudar os eleitores brasileiros que foram às urnas no último domingo. Ao destacar as conquistas de seu partido, o vereador disse que é preciso fazer uma boa luta em defesa do Rio Grande do Sul, na defesa dos direitos trabalhistas, para que se possa viver com mais dignidade no país. “Queremos um Estado que olhe para a frente e para o desenvolvimento”, afirmou. Janta declarou também que é necessária uma política que gere emprego e renda em todas as regiões gaúchas. (MF)  

GOVERNO III - Moisés Barboza (PSDB) se manifestou a respeito da convocação de professores de educação física para a Smed. Conforme o vereador, o que tem sido divulgado por alguns vereadores da Casa incita uma política que mobiliza pessoas através do pânico. Ao ler o documento encaminhado pelo Executivo sobre o assunto, Moisés reforçou que se trata de uma ordem de serviço para que a medida seja implementada até o dia 19 de novembro. “Peço calma e boa fé”, declarou. (MF) 

EDUCAÇÃO - Referindo-se ao documento apresentado pelo líder do governo municipal na Câmara, Sofia Cavedon (PT) questionou se os 14 professores que já foram transferidos retornarão ao atendimento dos alunos e idosos. Salientou que a medida afeta diretamente o bem-estar da população: “com a prática esportiva, os idosos passam a ter qualidade de vida, é um direito”. A ação será discutida amanhã (9/10) em reunião da Frente Parlamentar pelo Direito Social ao Esporte, Lazer e Recreação. Ainda na educação, Sofia destacou o fechamento de laboratórios de ciências em escolas da Restinga e o déficit de professores no município, que é de cerca de 500. “O prefeito está desmontando uma história muito bonita. Ficará marcado na história da cidade como alguém que destruiu o serviço público e a democracia”, afirmou. (AM)

GOVERNO IV - Respondendo à vereadora Sofia Cavedon (PT) sobre o parcelamento dos salários do funcionalismo público, Moisés Barboza (PSDB) justificou que foi a solução encontrada pelo governo municipal, devido ao contexto econômico e das finanças públicas. Explicou que não é uma preferência pessoal do governante. “Não é porque ele quer", afirmou, lembrando que, assim como o prefeito de Porto Alegre parcela o funcionalismo, o prefeito de Esteio, que é do Partido dos Trabalhadores, também o faz”, disse. (AM)

Texto: Matheus Closs (estagiário de jornalismo)
          Bruna Schlisting Machado ( estagiária de jornalismo) 
          Munique Freitas (estagiária de jornalismo) 
          Alex Marchand (estagiário de jornalismo)
Edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)