- Atualizada em 03/04/2017 09:18

Tombamento da TVE e da FM Cultura é tema de Tribuna Popular

Projeto de lei da vereadora Sofia Cavedon (PT), propondo o tombamento, tramita na Câmara.

Movimentação de plenário. Na foto: Jornalista Alexandre Leboutte.
Leboutte pediu apoio dos vereadores para aprovação do projeto(Foto: Henrique Ferreira Bregão/CMPA)

O projeto de lei que propõe o tombamento da TVE e da FM Cultura foi discutido no período da sessão ordinária destinada à Tribuna Popular, na tarde desta quarta-feira (29/3), no plenário da Câmara Municipal de Porto Alegre. Representando o Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul (Sindjors), o jornalista Alexandre Leboutte defendeu a importância da Fundação Piratini na preservação do patrimônio cultural e imaterial do Estado.

O jornalista aproveitou o espaço para pedir apoio aos vereadores para a proposta de tombamento cultural e imaterial das instituições, de autoria da vereadora Sofia Cavedon (PT). Conforme Leboutte, é preciso fazer uma reflexão sobre a memória social e coletiva da TVE e da FM Cultura, pois são meios que contribuem, cotidianamente, com o saber e a vivência de grupos constituídos em diversas identidades na sociedade. Desde 29 de março de 1974, segundo ele, o acervo destes veículos contêm as mais diversas manifestações da cultura e da arte de Porto Alegre e do resto do Rio Grande do Sul. Com cerca de 4,3 mil fitas, a TVE é um dos únicos lugares que detém esse tipo de reprodução captada no país. "Mas a gente não guarda na TV apenas manifestações artísticas, a ideia de cultura vai muito além da arte. A cultura é o saber de um povo, que transmuta e se modifica", destacou.

Outro ponto levantado pelo jornalista para entender o papel da fundação é a programação sem mediação do mercado. Ele explicou que este é o diferencial em relação às outras emissoras, entre outros programas que se destacam pela exibição da música de concerto, o programa Nação, que traz a história e a música da cultura negra, e também programas infantis, sem patrocínio de interesses comerciais. "A TVE e a FM Cultura se diferenciam com sua programação  em relação às emissoras privadas. E por isso, os artistas conseguem veicular sua produção", justificou.

Leboutte ainda solicitou que a Câmara busque interceder com o Executivo para que o tombamento seja acolhido e assim preservar as emissoras, "para que possamos continuar produzindo uma memória social que não é vista em outros lugares".

A vereadora Sofia Cavedon (PT) falou em defesa à Fundação Piratini. "Nós vamos lutar até o fim para preservá-la", afirmou. Os vereadores Airto Ferronato (PSB) e Aldacir Oliboni (PT) também manifestaram apoio ao trabalho das duas instituições. 

Texto de: Munique Freitas (estagiária de Jornalismo)
Edição: Carlos Scomazzon (reg. prof. 7400)