- Atualizada em 07/11/2017 13:20

Câmara homenageia 63 anos de Independência de Israel

Milititsky destacou 35 séculos de história até a formação do atual Estado de Israel Foto: Mariana Fontoura
Milititsky destacou 35 séculos de história até a formação do atual Estado de Israel Foto: Mariana Fontoura(Foto: )

A Câmara Municipal de Porto Alegre realizou sessão solene, na tarde desta terça-feira (10/5), para registrar os 63 anos da independência do Estado de Israel. A cerimônia foi presidida pelo vereador João Antônio Dib (PP). A Declaração de Independência do Estado de Israel foi assinada em 14 de Maio de 1948, no salão do antigo Museu de Tel Aviv, atual Museu da Independência.

Dib, ao abrir a solenidade, saudou a data mas lamentou que a paz tão almejada ainda não se concretizou na região. "Árabes e judeus são povos semitas, sem motivos para atritos". O Secretário Municipal da Produção, Indústria e Comércio, Valter Nagelstein, representando o Executivo Municipal, lembrou a contribuição do povo judeu no Estado, desde as colônias de Santa Maria, Quatro irmão e, mais tarde, em Porto Alegre e observou que o Estado de Israel é uma profecia do profeta Isaías: "hoje o país é uma referência importante em vários setores".

O vereador Idenir Cecchim, proponente da homenagem, lembrou do exílio forçado que o povo judeu teve que se submeter e que, através do esforço e do talento construiu uma das sociedades mais avançadas do mundo. “Este jovem país, reúne cerca de 100 nacionalidades diferentes e as melhores instituições do mundo para pesquisas nas áreas médica, de manejo da água, da agricultura, além de se destacar nas artes, na cultura, na ciência, que lhe garantiram sete prêmios Nobel”, destacou.

Cecchim afirmou, ainda, que pôde constatar pessoalmente os avanços de Israel, quando esteve naquele país representando, na ocasião o prefeito José Fogaça. Informou que, na oportunidade, convidou o prefeito de Haifa a vir a Porto Alegre, o que veio a acontecer, tornando as duas cidades irmãs.

Agradecimento

O Presidente da Federação Israelita do Rio Grande do Sul, Jarbas Milititsky, agradeceu a Câmara pela homenagem e ressaltou que a história do povo judeu remonta a 35 séculos e que Israel hoje se constitui em um país plural e democrático, que teve a sua independência renovada em 1948. Disse que devido à escassez de recursos naturais teve que se socorrer da tecnologia. Observou que a educação em Israel é uma herança valiosa e chave do futuro.

Milititsky também fez referência ao espírito de solidariedade e humanismo nas catástrofes ocorridas recentemente como no Haiti e no Japão. Criticou a retórica de grupos maniqueístas que semeia o ódio, o anti-semitismo e o preconceito. Conclamou as pessoas de bem a fazerem uma corrente contra a xenofobia e o racismo, para que essas idéias não prosperem.
Igualmente estiveram presentes na homenagem os vereadores Reginaldo Pujol (DEM), Sebastião Melo (PMDB) e Toni Proença (PPS), o presidente do Conselho Geral da Federação Israelita do Rio Grande do Sul, Henry Chmelnitsky, o representante do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Jaime Pittermann, o Procurador-Geral de Justiça, Alexandre Sikinowski Saltz, rabinos, professores e alunos do Colégio Israelita, do Centro Hebraico, além de representantes de outras entidades judaico-israelitas. 

Vítor Bley de Moraes (reg. prof. 5495)