Plenário

Aprovado projeto que determina uso obrigatório de máscaras na Capital

  • Sessão online com os vereadores.
    Projeto foi votado de forma virtual nesta segunda-feira(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Sessão online com os vereadores. Vereador Valter Nagelstein, autor de projeto votado
    Vereador Valter Nagelstein (PSD) assina a proposta(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Na tarde desta segunda-feira (4/5) os vereadores de Porto Alegre, em sessão virtual, aprovaram projeto de Lei nº 048/20, de autoria do vereador Valter Nagelstein (PSD), que estabelece o uso obrigatório de máscaras cirúrgicas ou assemelhadas como forma de combate à disseminação da COVID-19 no Município de Porto Alegre. Aprovaram ainda emenda determinando que as máscaras também poderão ser de pano, confeccionadas manualmente. 

O projeto diz que a distribuição das mesmas deverá ser feita de forma gratuita pela prefeitura e se dará nas Unidades de Pronto Atendimento do Município, bem como em outros locais que forem designados, como escolas municipais e repartições públicas municipais. Diz ainda que a distribuição será precedida de ampla divulgação, informando os locais em que serão distribuídos e os benefícios de sua utilização. 

Também está previsto na proposta que a permanência e o acesso da população em ambientes públicos fechados, em locais privados de acesso público e todos os modais de transporte público obriga ao uso da máscara cirúrgica ou assemelhada, sob pena de sanção pecuniária a quem descumprir a norma. De acordo com o projeto, as despesas decorrentes desta lei, mormente aquelas relativas à disponibilização de máscaras, correrão por conta de dotações orçamentárias próprias do Executivo Municipal e de acréscimos provenientes de verbas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. 

De acordo com o autor da proposta, desde o início da pandemia de COVID-19, assim reconhecida no mundo inteiro, foram realizados vários esforços pelas autoridades sanitárias em níveis locais e internacionais para instruir a população sobre as maneiras de prevenção à doença. “Passados mais de três meses do alerta internacional, torna-se necessário agora prevenir que os males acessórios da pandemia se alastrem de maneira irreversível no seio das economias e na subsistência de milhões de pessoas”, justifica o parlamentar.

Texto

Regina Andrade (reg. prof. 8.423)

Edição

Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)