Comissão

Moradores do Lami pedem linha direta de ônibus até a Restinga

Comunidade quer acesso mais rápido aos serviços do bairro e ao Hospital da Restinga

  • Solicitação da comunidade do Loteamento Jardim Floresta, no Lami, para a colocação de linha de ônibus para a Restinga. Na foto, vereador Paulinho Motorista ao microfone
    Reunião com a comunidade do Lami foi realizada na noite desta terça-feira(Foto: Ederson Nunes/CMPA)
  • Solicitação da comunidade do Loteamento Jardim Floresta, no Lami, para a colocação de linha de ônibus para a Restinga.
    Moradores reivindicam principalmente linha direta de ônibus urbano entre os bairros(Foto: Ederson Nunes/CMPA)

Em reunião realizada na noite desta terça-feira (29/10) na Associação dos Moradores do Bairro Jardim Floresta, localizada no Lami, zona Sul da capital, vereadores da Comissão de Urbanização, Transportes e Habitação (Cuthab) da Câmara Municipal de Porto Alegre debateram com a comunidade reivindicação pela implantação de uma linha de ônibus que ligue o Lami ao bairro Restinga. Segundo os moradores, para chegar até a Restinga é necessário ir até o Bairro Belém Velho e fazer um transbordo. Com esse percurso, conforme disseram, o trajeto leva até duas horas para ser completado. 

De acordo com a presidente da Associação, Rosemeri Inocencio, os moradores do Lami dependem da Restinga para consultas médicas, Conselho Tutelar, Farmácia Distrital além do Fórum. “Sem dizer que somente lá tem posto da Brigada Militar e agências bancárias”. 

Para Marilia Alvim o transbordo é inviável, pois segundo ela, quando a pessoa adoece é impossível fazer o percurso devido à demora. “Ficamos na parada esperando os ônibus expostos a assaltos”, reclamou dizendo que muitas vezes recorrem a vizinhos para carona. “Sem falar de quando temos que sair com crianças à noite para ir até o hospital”. 

Impossibilidade

Paulo Ricardo Dias, Auxiliar de Planejamento do Consórcio Viva Sul, que atende as linhas de ônibus da Zona Sul da Cidade, informou que no momento é impossível atender a demanda da comunidade. “Não dispomos de carros. Mas, prometo que levarei a demanda para a direção da empresa”, disse ele alertando que a comunidade já está contemplada com o transbordo. "Essa alternativa atende bem os moradores do Lami que pretendem ir até a Restinga", frizou. Dias também combinou com os moradores que fará uma reunião para esclarecer melhor a solicitação. "Quem sabe achamos uma solução". Na reunião ele esteve acompanhado do supervisor da Viva Sul, Edison Ribas. 

A reunião, que contou com aproximadamente sessenta pessoas, foi solicitada pelo vereador Paulinho Motorista (PSB) e acompanhada pelo presidente da Cuthab, vereador Dr. Goulart (PTB). Segundo Paulinho essa é uma demanda antiga dos moradores do Lami. “É triste ter um hospital perto e ter que levar até duas horas para chegar lá em função de uma linha de ônibus”, lamentou. Já, segundo Goulart, a promessa da implantação do itinerário do Lami até a Restinga vem desde a construção do Hospital, em 2014. “E já estamos quase em 2020 e nada foi feito”, lamentou.

Os vereadores lamentaram ainda a ausência de representante da EPTC, que foi convidada para tratar da possibilidade da implantação de um quebra-molas nas proximidades do nº 6.000 da Avenida do Lami. “Amanhã mesmo vamos procurar saber porque não vieram” disse Paulinho informando que fará contato com o prefeito Nelson Marchezan Júnior. “Ele terá de explicar, pois todos aqui pagam impostos e têm os mesmos direitos que os demais moradores da cidade”.

Texto

Regina Andrade (reg. prof. 8.423)

Edição

Helio Panzenhagen (reg. prof. 7154)

Tópicos:Ônibus UrbanoHospital da RestingaLami