PLENÁRIO

Sessão Ordinária / Lideranças

  • Sessão Ordinária. Ao microfone, vereadora Cláudia Araújo.
    Vereadora Cláudia Araújo (PSD)(Foto: Leonardo Contursi/CMPA)
  • Sessão Ordinária.
    Vereadora Lourdes Sprenger (MDB)(Foto: Leonardo Contursi/CMPA)

Os vereadores e vereadoras trataram dos seguintes assuntos nos tempos de Lideranças da sessão plenária de hoje (18/11) da Câmara Municipal de Porto Alegre:

RENOVAÇÃO - Adeli Sell (PT) saudou os vereadores eleitos que visitaram a Câmara na sessão desta quarta-feira (18/11) e espera que os novos parlamentares “deem continuidade ao trabalho da Casa”. O vereador parabenizou especialmente Aldacir Oliboni (PT), único reeleito da sigla. Adeli salientou que muitos debates foram feitos na Câmara e “a grande questão do parlamento é sua função fundamental, a fiscalização do Executivo”, lembrando que “a produção de leis é importante, mas não é apenas isso” que importa. A fala de Valter Nagelstein (PSD) foi considerada uma “infelicidade sem precedentes, um desastre, pois não podemos fazer antecipadamente julgamento algum por quem se elegeu”. O petista salienta que a renovação não deve ser apenas de pessoas, mas “em perspectivas de futuro”. Considerando a revisão do Plano Diretor e os eleitos, Adeli afirma “que não será uma Câmara tranquila”. O vereador prometeu não virar as costas para a cidade e espera que Oliboni “continue peleando aqui dentro” e os novos “sigam o exemplo”. (RF)

DEBATE - Para Aldacir Oliboni (PT), “é um dia muito especial para todos nós, eleitos ou não”. Dirigindo-se aos seus eleitores, Oliboni disse que “foi uma opção democrática e de livre escolha” e pede para que sempre os cidadãos tenham oportunidade de escolher os seus representantes. O vereador considera que nos últimos quatro anos “a oposição teve vereadores com posição e conteúdo a oferecer nos debates da Casa, mas a sociedade escolheu uma renovação”. O petista considerou o governo Nelson Marchezan Jr. um dos piores da história da cidade e afirma que os candidatos do segundo turno, Sebastião Melo (MDB) e Manuela D’Ávila (PCdoB), dois ex-vereadores, “conhecem os problemas dos diversos pontos da cidade”. Oliboni desejou que na próxima Legislatura “não fechem as portas para o cidadão poder debater”, pois “esta Casa tem que oferecer esse espaço democrático e respeitoso”. (RF)

APOSENTADOS - Lourdes Sprenger (MDB) cumprimentou a todos os colegas reeleitos, citou a campanha difícil que passou, lamentou a alta abstenção do eleitorado da capital e comemorou pela conquista de mais quatro anos na Casa. Lourdes trouxe as famílias dos eletricitários aposentados para pauta. “Aposentados não estão mortos, com saúde podem desempenhar papeis importantes”, afirma a vereadora. Criticando gestores anteriores, Lourdes afirma que a CEEE tem dívida de R$ 7 bilhões, mas aguarda o recebimento de R$ 10 bilhões do governo federal. “Estão vendendo uma sucata que não é uma sucata, valores que não são transparentes”. Para a vereadora, quem está tratando dessa questão a nível de governo estadual, “não conhece a cultura e o que representou a estatal de energia elétrica”. (RF)

RETROCESSO - Comandante Nádia (DEM) agradeceu aos seus eleitores que “entenderam a importância de ter alguém que fale de segurança pública com legitimidade, que seja pelo empreendedorismo, por Porto Alegre menos burocrática e com liberdades”. A vereadora lembrou o fechamento do comércio e afirma que “perdemos liberdade de ir e vir” e de abrir os negócios. Nádia ressaltou o aumento de pessoas nas ruas pedindo dinheiro, inclusive crianças, “que há pouco tempo atrás não víamos”. Lembrando da alta abstenção, Nádia propôs uma reflexão sobre esse tema. A vereadora reiterou aos 35 colegas que todos saíram vencedores, “pois o pleito não depende de nós, depende do eleitor que está na rua, não é fácil ser colocado num saco onde todos os políticos são corruptos”. Nádia espera que na próxima Legislatura o diálogo do Executivo com a Câmara seja maior. “Continuarei sendo a vereadora da direita conservadora, liberal na economia, enfrentando um novo desafio, de termos um retrocesso, no meu entendimento, na Câmara de Vereadores a partir da próxima Legislatura”. Sobre a eleição para o Executivo, Nádia afirma que se deve escolher o candidato que “realmente possa fazer uma Porto Alegre com liberdades” e que não feche os serviços. (RF)

RENOVAÇÃO - Cláudia Araújo (PSD) agradeceu aos 4071 votos que foram dados a ela no último domingo. Disse que esse ano o pleito foi diferente e atípico, com muitas pessoas que não foram às urnas ou por medo do vírus ou por não acreditarem na nossa política. “Mas tivemos muitas mudanças na Câmara, com novas pessoas entrando no nosso time para agregar. A diversidade e a renovação são muito importantes.” Aproveitou o momento para dizer que se filiou ao PSD em 2015 por ser um partido de centro e que discorda da necessidade que alguns impõem de que é preciso se posicionar como oposição ou situação. “Nós lutamos por causas e pessoas. Voto quando concordo e quando acredito ser a melhor escolha.” Finalizou se manifestando contra a fala do presidente do PSD, Valter Nagelstein. “Isso não me representa. Sou contra o racismo, discriminação. Tô muito feliz com a quantidade de negros e mulheres que se elegeram, ocupando seus espaços por direito e razão.” (LMN)

SAUDAÇÃO - Airto Ferronato (PSB) disse que alguns saíram com seus mandatos renovados e outros não, mas que, com toda certeza, todos venceram. “Minha mensagem a todos é de que uns vêm e outros vão, mas a vida continua. As nossas possibilidades de novas vitórias são grandes. Minha saudação a quem se reelegeu.” Aproveitou a fala da vereadora Cláudia Araújo (PSD) para dizer que nunca se posicionou como oposição ou situação, e que vota de acordo com a sua consciência para sair com a sensação de dever cumprido. “Um abraço fraterno e carinhoso aos meu eleitores que depositaram confiança no meu trabalho, que é coletivo e é para Porto Alegre. Estaremos juntos. Contem comigo nas boas causas.” (LMN)

 

Texto

Rian Ferreira (estagiário de Jornalismo)
Lara Moeller Nunes (estagiária de Jornalismo)

Edição

Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)