Cosmam

José Freitas defende implantação da Rede de Atendimento à Psoríase

Reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente sobre a Rede Municipal de Atendimento à Psoríase. Na foto, o vereador José Freitas.
Reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente sobre a Rede Municipal de Atendimento à Psoríase. Na foto, o vereador José Freitas.(Foto: Andielli Silveira/CMPA)

Porto Alegre – Através de uma proposta do vereador José Freitas (PRB), a Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam), da Câmara de Vereadores tratou sobre a Rede de Atendimento à Psoríase, em reunião realizada na manhã desta terça-feira, 31.

Para o parlamentar gaúcho, é fundamental sensibilizar a sociedade sobre a enfermidade. “ Precisamos mobilizar o governo municipal para que, de fato, instale a rede de atenção à psoríase, prevista na Lei 12.247, de minha autoria. É preciso montar, gradativamente, uma equipe que possa dar atendimento qualificada a estas pessoas. Além disso, precisamos articular ações para que o Ministério da Saúde forneça do tratamento adequado aos portadores de psoríase”, defendeu.  

Convidada da Comissão, Gladis Lima, presidente da entidade Psoríase Brasil, apresentou o panorama da doença no país, relatando as principais dificuldades a serem superadas. “Há uma demora excessiva para o atendimento dos portadores com um especialista da área. Em função do tempo, o estágio da doença avança, as lesões aumentam e as doenças relacionadas aparecem, como diabetes e doenças cardiovasculares”, esclareceu.

Lima ainda reforçou sobre a necessidade de inclusão das novas terapias no Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), do Ministério da Saúde. “É preciso incluir as terapias de alta complexidade para aqueles pacientes que já passaram por todos os tratamentos convencionais”, salientou. 

Vanessa dos Santos Cunha, representante da Sociedade Brasileira de Dermatologia/Secção RS, falou sobre a dificuldade de acesso aos medicamentos para psoríase. “Também atendo clinicamente e vejo que o acesso, mesmo para as medicações mais baratas, esbarra na burocracia. Muitos pacientes acabam comprando os remédios, porém, alguns não têm condições”, relatou.

Como encaminhamento, ficou definida a instalação da Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Psoríase para o próximo ano, além da proposição de uma emenda que determinará ações de prevenção e conscientização sobre a psoríase na Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2018. 

Psoríase

A doença inflamatória da pele, crônica e autoimune afeta a 3% da população mundial, ou seja, aproximadamente cinco milhões brasileiros são acometidos pela enfermidade, sendo 44 mil em Porto Alegre. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a psoríase é um problema de saúde pública que atinge cerca de 125 milhões de pessoas em todo o mundo.